Angola: ambiente de negócios vs. endividamento público – mas, quem diversifica a economia à luz da ameaça duma nova recessão?

Rádio Angola Unida (RAU) – 145ª Edição do programa “7 dias de informação em Angola” apresentado no dia 12-07-2019 por Serafim de Oliveira com análises e comentários de Carlos Lopes: :

  • O antigo presidente do Fundo Soberano de Angola José Filomeno “Zenu” dos Santos, filho do ex-Presidente José Eduardo dos Santos, começa a ser julgado pelos crimes de peculato e branqueamento de capitais no próximo dia 09, anunciou fonte judicial. Segundo uma nota da Câmara Criminal do Tribunal Supremo, o julgamento, onde são também arguidos o antigo governador do Banco Nacional de Angola Valter Filipe da Silva, o empresário Jorge Gaudens Pontes Sebastião e o ex-diretor do Departamento de Gestão de Reservas do BNA António Samalia Bule Manuel, deverá ter início no dia 9 às 09:00. O julgamento esteve inicialmente agendado para 25 de setembro mas foi adiado na altura por indisponibilidade da defesa de Valter Filipe da Silva. A 19 de setembro, “Zenu” dos Santos comunicou à sociedade de advogados que o representava a revogação do mandato e requereu um defensor oficioso. O ex-presidente do Fundo Soberano está pronunciado pelos crimes de branqueamento de capitais e de peculato, num processo relativo à suposta transferência irregular de 500 milhões de dólares (452 milhões de euros) do Banco Nacional de Angola para um banco britânico, em setembro de 2017.
  • A agência de ‘rating’ Fitch disse que a Perspetiva de Evolução Negativa para a economia de Angola é explicada pela elevada dívida pública face ao PIB, a diminuição das reservas em moeda externa e pela recessão. A Fitch, que atribui uma notação ‘B’ a Angola, abaixo da recomendação de investimento.
  • Em Berlim, o ministro angolano dos Recursos Minerais e Petróleos, Diamantino Pedro Azevedo, acompanhado por uma grande delegação de empresários e representantes de instituições governamentais, participou num “diálogo económico” com empresários alemães, organizado pela associação das empresas alemãs com negócios em África, Afrika-Verein. O ministro recordou o interesse do Governo angolano em diversificar a economia e diminuir as importações, num movimento em que o setor privado atuaria como o motor da economia. Diamantino Pedro Azevedo citou uma lista de exemplos dos setores em que haveria oportunidades de negócios, começando pelos projetos estruturantes “de grande envergadura, na área da energia, na área portuária, na área aeroportuária e nas infraestruturas em geral”. Segundo Diamantino Azevedo, Luanda vê também “um grande potencial na agricultura, onde houve já presença de alemães no passado” e também na saúde, “tanto na construção e apetrechamento de hospitais e centros médicos, mas também na indústria farmacêutica”.
  • O ministro da Justiça e Direitos Humanos disse que Angola regista níveis de tráfico de drogas comparativamente mais elevados do que em anos anteriores, mas ainda assim inferiores aos de outros países da região. Francisco Queiroz, que falava à margem da abertura do seminário sobre a “Implementação das Convenções das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes (UNODC)”, frisou que, apesar do aumento deste fenómeno, Angola situa-se abaixo dos índices registados noutros países, sem avançar números. “Os crimes mais cometidos são aqueles de natureza económica, de transferência ilícita de capitais, o tráfico de órgãos humanos e pessoas e o tráfico de drogas, que começa a ser um problema preocupante”, disse o ministro angolano, defendendo que o reforço da cooperação internacional é necessário para se combater o tráfico de drogas. O governante observou que no país fazem escala muitos voos, para diversos destinos, passando, por isso, todo o tipo de drogas — “quer a cocaína quer a ‘canábis sativa’, que é a nossa vulgar liamba”.
    RAU – Rádio Angola Unida – Uma rádio ao serviço dos angolanos, que não têm voz em defesa dos Direitos Humanos e Combate a Corrupção, em prol de um Estado Democrático e de Direito, apostando no Desenvolvimento sustentável e na dignidade do povo soberano de Angola.
    Os programas da Rádio Angola Unida (RAU) são apresentados e produzidos em Washington D.C.
    Perguntas e sugestões podem ser enviadas para Prof.kiluangenyc@yahoo.com.

Escute aqui:
https://www.blogtalkradio.com/profkiluangenyc/2019/12/07/angola-fmi-desembolsa-e-o-1-a-receber-numa-poltica-de-conteno-econmica-1

Author: angolatransparency

-Impulsionar os cidadãos angolanos a questionarem como o erário público é gerido e terem a capacidade de responsabilizar os seus maus gestores de acordo com os princípios estabelecidos na Constituição da República --Boost the Angolan citizens to question how the public money is managed and have the ability to blame their bad managers in accordance with the principles laid down in the Constitution of the Republic-------------- Prof. N'gola Kiluange

Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.