Angola: crescimento económico vai estar consistentemente abaixo da média da região até final desta década, diz consultora Fitch Solutions

Escute aqui: https://www.blogtalkradio.com/profkiluangenyc/2021/10/29/angola-me-deixem-em-paz-diz-samakuva

Washington D.C – Rádio Angola Unida (RAU) – 238ª Edição do programa “7 dias de informação em Angola, apresentado no dia 10/28/2021, por Serafim de Oliveira com análises e comentários de Carlos Lopes:

  • O presidente do MPLA, João Lourenço, formaliza na tarde desta quarta-feira, 27, a sua candidatura ao cargo de líder do partido, no quadro do oitavo congresso a ter lugar em Dezembro. Segundo a Rádio Nacional de Angola, o acto vai ter lugar na sede do partido no poder em Luanda e será marcado pela entrega da documentação, requerida aos candidatos, pelo general Pedro Neto, mandatário de João Lourenço. A vice-presidente do partido e coordenadora da sub-comissão de candidaturas foi indicada para presidir a cerimónia. A candidatura de João Lourenço à sua própria sucessão na liderança do MPLA, segue-se ao anúncio, há uma semana, da intenção do militante António Francisco Venâncio de concorrer ao cargo, Em declarações à VOA na terça-feira, 26, António Venâncio disse que a sua candidatura tem sofrido tentativas de boicote por parte de “militantes isolados” do seu partido. Para o analista Vicente Pongolola, o anúncio da candidatura de João Lourenço, “seria normal se o MPLA fosse um partido aberto”. No seu entender, “o MPLA é um partido retrógrado e não é democrático, tanto é assim que o outro candidato não está ter o espaço necessário”.
  • “Me deixem em paz”, afirma o líder do maior partido da oposição, lembrando que desde 2016 tem dito que não se candidataria à presidêncai da UNITA. O presidente da UNITA reconhece a pressão que vem sofrendo de todos os lados, mas diz que está fora de questão ser candidato no XIII Congresso do partido a realizar-se de 2 a 4 de Dezembro. Isaías Samakuva disse à VOA não existir qualquer impedimento estatutário para que ele seja candidato, mas que, desde 2016, decidiu não mais concorrer à liderança do partido. Ele explica ter escrito uma carta ao Tribunal Constitucional (TC) por uma questão estratégica, que não pode partilhar na imprensa, e diz que os épticos devem apenas esperar para ver. “Me deixem em paz”, são as palavras do Samakuva aos militantes da UNITA e cidadãos angolanos que admitem uma possível candidatura dele à liderança do partido. “Não vou concorrer não. Do ponto de vista estatutário não há nada que me proíbe de concorrer, agora, a minha vontade que eu venho exprimindo desde 2016, é que eu mesmo já saí da presidência do meu partido”, garante o presidente do segundo maior partido angolano. No entanto, ele acrescenta que “essa questão de me candidatar ou não passa muito na cabeça das pessoas e parece-me ser a base de toda a especulação, mas eu gostaria de dizer que me deixem em paz e mais nada”. Em relação à carta enviada ao TC, Isaías Samakuva esclarece que, numa situação tão conturbada, não pode o seu desejo ser partilhado com o público. “Não vale a pena falar disso, ouço tantas especulações, alguns até já me chamaram de burro, portanto, aceito isso, mas eu sei o que quero atingir, isso é para mim mesmo. O meu desejo, numa situação tão conturbada, não pode vir a público, se calhar até podemos chamar como estratégico, se as pessoas ficam com dúvidas… acham… eles não sabem o que estamos a fazer”, reflecte Isaías Samakuva, concluindo que: “a população deve esperar para ver”. Isaías Samakuva dirigiu a UNITA desde a morte do fundador do partido, Jonas Savimbi, em 2002 até 2019, quando abandonou a liderança no Congresso que elegeu Adalberto Costa Júnior presidente da organização política.
  • Paralisalão começa no dia 29 contra recusa do Governo em aumentar os salários e realizar eleições dos gestores das unidades orgânicas. O Sindicato dos Professores do Ensino Superior de Angola (SINPES) marcou para o dia 29 de Outubro o início de uma greve, em todas as universidades públicas e institutos superiores do país. Em causa estão antigas reivindicações que o Governo não se tem mostrado disposto a satisfazer, entre as quais o aumento dos salários e a realização de eleições para escolha dos gestores das unidades orgânicas, segundo disse o secretário-geral daquele sindicato. Eduardo Peres Alberto disse à VOA que em Setembro passado a sua organização já tinha avisado o Ministério do Ensino Superior que se as reivindicações não fossem atendidas a paralisação seria inevitável a partir de Outubro e diz haver“falta de vontade política” por parte do Governo. “Em 2018, o Presidente João Lourenço assinou um despacho em que orienta o Ministério do Ensino Superior,Ciência Tecnologia e Inovação a criar as condições para a realização de eleições em todas as universidades públicas e suas unidades orgânicas a partir de 2019, o que não aconteceu por razões pouco fundamentadas”, disse Perez Alberto. Refira-se no dia 5 de Outubro, aquando da abertura do novo ano lectivo no Ensino Superior, o Presidente angolano, João Lourenço, reconhceu na cidade do Bié a necessidade de um maior investimento no sistema de ensino superior e prometeu aumentar a verba destinada ao sector, ainda este ano, bem como as bolsas de estudo internas, nos níveis de graduação e pós-graduação, como forma de premiar o mérito estudantil. Lourenço reiterou também na ocasião a aprovação do novo regime jurídico que permite às instituições do ensino superior realizarem os seus pleitos eleitorais.
  • A consultora Fitch Solutions reviu hoje em forte baixa a previsão de evolução da economia de Angola, antecipando agora uma recessão de 1,5% este ano, antes de o país crescer 2,7% em 2022. “Na Fitch Solutions, antevemos que o Produto Interno Bruto (PIB) real de Angola se vá contrair 1,5% este ano, antes de crescer 2,7% em 2022, o que é uma revisão em baixa face à nossa previsão anterior de um crescimento de 1,7% este ano e de 3,3% em 2022”, lê-se numa nota enviada aos clientes. Na atualização da previsão, a que a Lusa teve acesso, a consultora detida pelos mesmos donos da agência de notação financeira Fitch Ratings justifica a revisão com “as novas previsões sobre a produção petrolífera” em Angola, o segundo maior produtor da África subsaariana. A Fitch Solutions reviu em baixa a previsão de produção petrolífera em Angola, estimando agora que o país bombeie 1,25 milhões de barris por dia este ano e 1,31 milhões em 2022, o que contrasta com a previsão anterior de 1,33 milhões este ano e 1,43 milhões no próximo ano. “Isto acontece devido à expectativa do Governo de que alguns projetos entrem em funcionamento no segundo semestre deste ano, o que pode providenciar um modesto apoio à produção, que está em dificuldades”, argumentam os analistas da Fitch. Em 2022, os novos projetos da TotalEnergies e da BP, que foram adiados devido aos efeitos da pandemia de covid-19, vão ajudar a fazer a produção recuperar, conclui-se na nota da Fitch Solutions. Além da revisão em baixa para este ano, que faz com que Angola enfrente o sexto ano consecutivo de recessão desde 2016, a Fitch Solutions aponta também que a média de crescimento da economia vai estar consistentemente abaixo da média de crescimento da região até final desta década.

Prof.kiluangenyc@yahoo.com. RAU – Rádio Angola Unida -Uma rádio ao serviço dos angolanos, que não têm voz em defesa dos Direitos Humanos e Combate a Corrupção, em prol de um Estado Democrático e de Direito, apostando no Desenvolvimento sustentável e na dignidade do povo soberano de Angola. Os programas da Rádio Angola Unida (RAU) são apresentados e produzidos em Washington D.C.

Author: angolatransparency

-Impulsionar os cidadãos angolanos a questionarem como o erário público é gerido e terem a capacidade de responsabilizar os seus maus gestores de acordo com os princípios estabelecidos na Constituição da República --Boost the Angolan citizens to question how the public money is managed and have the ability to blame their bad managers in accordance with the principles laid down in the Constitution of the Republic-------------- Prof. N'gola Kiluange (Serafim de Oliveira)

Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: