Angola: injeção de nova moeda vs. inflação

Rádio Angola Unida – 174ª Edição do programa “7 dias de informação em Angola”,apresentado no dia -09-07-2020 por Serafim de Oliveira com análises e comentários de Carlos Lopes -escute aqui: https://www.blogtalkradio.com/profkiluangenyc/2020/07/09/angola-reunio-do-bureau-poltico-do-mpla-vs-quem-faz-quarentena

  • O Presidente angolano, João Lourenço, e cinco dezenas de membros do Bureau Político do MPLA vão fazer o teste de despitagem da Covid-19, depois de um dos elementos do órgão que participou na reunião do passado dia 30 ter acusado positivo. A informação foi avançada à VOA nesta terça-feira, 7, pelo secretário de Informação do partido no poder, Albino Carlos, quem indicou que o membro infetado realizou um teste aleatório que deu positivo. “Eu confirmo sim que um membro do BP testou positivo à Covid-19, mas por motivo de ética não podemos divulgar o nome”, afirmou Carlos, reiterando que “com base na recomendação do Unicef e do Ministério da Saúde, uma vez que esse membro esteve presente na ultima reunião é importante que sejam sumetidos a testes todos os membros que participaram da reunião”. O porta-voz do MPLA garante que o partido vai continuar a realizar as suas atividades dentro “do novo normal”, seguindo as recomendações sanitárias.
  • O BNA apresentou as cinco novas notas de kwanza, moeda nacional, cujo destaque na imagem central a efígie do primeiro Presidente angolano, António Agostinho Neto, com a imagem de José Eduardo dos Santos, segundo Presidente do país, de fora. As novas notas de 200 kwanzas (0,3 euros), 500 kwanzas (0,75 euros), 1.000 kwanzas (1,5 euros), 2.000 kwanzas (3 euros) e de 5.000 kwanzas (7,5 euros) entram de circulação no mercado de forma faseada até janeiro de 2021. Segundo José Massano, as novas notas do kwanza, “inspiradas na grandeza da Angola independente em paisagens de beleza única”, contêm elementos da “nossa identidade cultural” e de segurança, modernidade e durabilidade. As notas de 200 kwanzas a 2.000 kwanzas feitas de substrato de polímero (plástico) têm durabilidade “quatro vezes superior às feitas de algodão”. O novo substrato, observou, “é reciclável e deste modo amigo do ambiente”. “No nosso caso a durabilidade é muito relevante porque a intensidade no manuseio da nota faz com que a sua vida útil seja reduzida, elevando custos e saneamento do meio circulante”, notou. Para o governador do banco central angolano, as notas feitas em polímero apresentam “maior comodidade no seu uso e poupança financeira na gestão do meio circulante”, sobretudo em zonas do país onde não há delegações do BNA ou balcões de bancos comerciais.
  • A violação de cercas sanitárias em Angola vai passar a ser punida com multas entre 100 e 250 mil kwanzas e os cidadãos incumpridores colocados em quarentena institucional, devendo comparticipar com os custos do alojamento e dos testes. Esta é uma das medidas contidas no novo decreto presidencial que define regras distintas para territórios que se encontram em cerca sanitária devido à pandemia de covid-19 e vigora a partir de quinta-feira, segundo o ministro de Estado e Chefe da Casa Civil do Presidente da República, Adão de Almeida. A província de Luanda vai estar sob cerca sanitária até 09 de agosto, o mesmo acontecendo com o Cazengo, município do Cuanza Norte, a única província onde, a par de Luanda, se registam casos de infeção por covid-19. Os cidadãos que auxiliem na violação da cerca terão a mesma penalização, indicou o ministro. Entre as novas regras em vigor nestas localidades a partir de quinta-feira destacam-se também novos horários para os estabelecimentos comerciais, que passam a funcionar das 07:00 às 16:00, incluindo cantinas (pequenas mercearias) e redução do horário de restaurantes e similares, que passam a funcionar só até as 16:00, com lotação limitada a 50%. O incumprimento é punido com multa de 100 a 250 mil kwanzas. Mercados e venda ambulante passam a funcionar apenas às terças-feiras, quintas-feiras e sábados, no horário entre as 06:00 e as 15:00, estando previstas multas de 5.000 a 10.000 kwanzas para os incumpridores, extensíveis aos compradores que procedam à aquisição de bens fora dos dias autorizados. O número de pessoas admitidas em atividades coletivas passa de 150 para 50 pessoas e as reuniões de pessoas em convívio doméstico ficam limitados a 15 pessoas, enquanto na via pública só poderão concentrar-se até um máximo de 10 cidadãos, estando proibida a venda e consumo de bebidas alcoólicas na via publica. As cerimónias fúnebres ficam limitadas a 10 participantes, ou cinco, caso se trate de uma morte associada à covid-19. A capacidade dos transportes públicos será reduzida de 75% para 50%, com limitação de horário das 05:00 às 18:00. Passa a ser proibida a trasladação de cadáveres se a causa de morte for covid-19. As deslocações oficiais que tenham de sair de Luanda estão sujeitas a autorização especifica e a um “numero reduzido de pessoas, ajustado em natureza do trabalho”.
  • O reinício das aulas em Angola, que estava previsto para a próxima segunda-feira, foi adiado sem nova data, anunciou esta terça-feira o ministro de Estado e Chefe da Casa Civil do Presidente da República, Adão de Almeida. A decisão é não reiniciar as aulas na segunda-feira. O princípio é de continuar a fazer acompanhamento da situação e, oportunamente, voltar a um novo pronunciamento sobre a matéria”, avançou o governante em conferência de imprensa em Luanda. Este foi um dos temas abordados numa reunião de trabalho para avaliar a situação epidemiológica presidida esta terça-feira pelo Presidente da República, João Lourenço, “tendo sido dadas indicações aos órgãos competentes para, nos próximos dias, em princípio amanhã (quarta-feira), publicar um ato que anuncia a decisão. As aulas no ensino geral e universitário em Angola foram suspensas em março, antes de o Presidente angolano declarar o estado de emergência, que decorreu entre 27 de março e 25 de maio, ao qual se sucedeu a 26 de maio a situação de calamidade pública.

RAU – Rádio Angola Unida – Uma rádio ao serviço dos angolanos, que não têm voz em defesa dos Direitos Humanos e Combate a Corrupção, em prol de um Estado Democrático e de Direito, apostando no Desenvolvimento sustentável e na dignidade do povo soberano de Angola.Os programas da Rádio Angola Unida (RAU) são apresentados e produzidos em Washington D.C. Prof.kiluangenyc@yahoo.com

Author: angolatransparency

-Impulsionar os cidadãos angolanos a questionarem como o erário público é gerido e terem a capacidade de responsabilizar os seus maus gestores de acordo com os princípios estabelecidos na Constituição da República --Boost the Angolan citizens to question how the public money is managed and have the ability to blame their bad managers in accordance with the principles laid down in the Constitution of the Republic-------------- Prof. N'gola Kiluange

One thought on “Angola: injeção de nova moeda vs. inflação”

Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.