Angola: era uma vez Isabel dos Santos e a máfia-russa

Angola: era uma vez Isabel dos Santos e a a máfia-russa


Montreal- Se a memória não me atraiçoa, há sete anos atrás, referi-me, numa das minhas intervenções nas redes socias, sobre a associação de Isabel do Santos com a máfia-russa atráves da sua mãe, Tatyana Kukanova.

As provas, aos poucos, acabam por vir ao de cima: tudo que se tratasse de acesso as nossas fontes de riquezas – nada estava fora da sua mão, mesmo ao custo de vidas humanas, principalmente nas nossas minas diamantíferas!
E não faltaram ameças de várias índoles… e muitas das quais proferidas -directamente!- não só à minha integridade cívica e moral … mas também a minha própria família nuclear.

Esqueceram-se essas pobres criaturas que no fundo da alma do alvo a abater existe uma apropriação legítima de Angola – de vários séculos de existência tradicional: bem documentada e fundamentada!

Quem de nós abdicaria uma herança construida com tanto sacrifício, submetendo-se às regras ditadas por malditos aventureiros « candidatos a guerra por procuração»?


Acredito que cada um de nós leva bem dentro do seu coração a melhor intenção de ver esse país a singrar em todos seus desafios… E o importante,acima de tudo, é depositar confiança de vermos a prosperidade dessa terra sacrificada – ainda que não aconteça no nosso tempo de vida…


Tenhamos em conta, meus senhores e minhas senhoras, que em jogo está a nossa convivência social…ou enfrentamos, de peito e alma, o combate contra a corrupção lá onde existir na nossa sociedade … ou a credibilidade de todas nossas estruturas estatais, incluindo o nosso «raciocínio colectivo» – nunca serão respeitados por credores nacionais ou internacionais.


Cometemos erros horríficos (danificantes ao psíquico da integridade moral da pessoa humana) nos últmos 44 anos da nossa existência como gestores primários (?) da coisa pública nacional… e o momento exige de cada um de nós não o apontar de dedos, mas soluções inovadoras e eficientes -atráves do respeito mútuo e abraço ao equilíbrio da reciprocidade,contínuo diálogo (candido e honesto), participação colectiva e tomada de decisões referentes à administração do erário público,cumprimentos regular de realização de eleições gerais e autárquicas …


A escolha é nossa!
Prof. N’gola Kiluange ( Serafim de Oliveira)
Prof. kiluangenyc@yahoo.com
Montreal- Quebec, Canada

Angola: Once upon a time Isabel dos Santos and the Russian mafia


Montreal – If my memory serves me right, seven years ago, I have refered to one of my social media intervention about Isabel de Santos’s association with Russian-mafia through her mother, Tatyana Kukanova.
The evidence gradually comes to the fore: everything about access to our sources of wealth – nothing was out of her hand, even at the cost of human lives, especially in our diamond mines!

And there was no shortage of threats of various kinds … many of which were uttered – directly! – not only to my civic and moral integrity … but also to my own nuclear family.


These poor creatures have forgotten that deep in the soul of the target to be slaughtered there is a legitimate appropriation of Angola – from several centuries of traditional existence: well documented and grounded.


But who of us would give up an inheritance built with such sacrifice, submitting to the rules dictated by damned adventurers “proxy war candidates”?


I believe that each of us holds deep within our hearts the best intention of seeing this country thrive in all its challenges … And the important thing, above all, is to put our trust in seeing the prosperity of this sacrificed land – even if it does not happen in our lifetime …


Let us bear in mind, ladies and gentlemen, that our social life is at stake … or we face the fight against corruption where there is in our society … or the credibility of all our structures, including our ‘collective reasoning’ – will never be respected by national or international creditors.


We have made horrific errors (damaging to the psychic of the moral integrity of the human person) in the last 44 years of our existence as primary managers (?) of the national public thing … and the moment requires of each of us not to point fingers, but innovative and efficient solutions, – through mutual respect and embrace of the balance of reciprocity, continuous dialogue (candid and honest) collective participation and decision-making concerning the administration of the public purse, regular conducting of general and local elections …


The choice is ours!
A escolha é nossa!
Prof. N’gola Kiluange ( Serafim de Oliveira)
Prof. kiluangenyc@yahoo.com
Montreal- Quebec, Canada

Author: angolatransparency

-Impulsionar os cidadãos angolanos a questionarem como o erário público é gerido e terem a capacidade de responsabilizar os seus maus gestores de acordo com os princípios estabelecidos na Constituição da República --Boost the Angolan citizens to question how the public money is managed and have the ability to blame their bad managers in accordance with the principles laid down in the Constitution of the Republic-------------- Prof. N'gola Kiluange (Serafim de Oliveira)

Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.