Angola: dois anos após de governação de JLO – cabe-nos a nós dizer como gostaríamos de ser governados!

49346143_1195266273965642_4808188279822221312_n

Angola: dois anos após de governação de JLO – cabe-nos a nós dizer como gostaríamos de ser governados!

Por Prof.N’gola Kiluange

Washington D.C – Esquecemo-nos frequentemente de que esse país foi por longos anos palco de guerra por procuração entre os nossos movimentos de libertação nacional.

Em plena guerra fria entre o bloco ocidental e o bloco leste comunista, os angolanos mergulharam-se em conflitos abertos e fraticidas numa dimensão destrutiva nacional sem algum precedente em todo histórico de existência humana.

O juízo de valor tornou-se comerciável à luz da lei decretada pelo detentor do poder político, militar e económico no dia 11 de Novembro de 1975, compromento e condicionando, assim, a nossa convivência social desde então.

Toda e qualquer razão contrária ao padrão ainda em curso – será simplesmente reprimida e neutralizada, a não ser que o funcionamento normal de todas nossas estruturas estatais se livrem das ordenanças do partido governante.

Primeiro, a revisão da constituição dever ser um “fait accompli” imediato se quisermos credibilizar as nossas instituições públicas e afastar a hipótese de aventureiros poderem ainda semear a discórdia e o ódio entre nós.

Segundo, a gestão da coisa pública deve ser gerida com alto sentido de responsabilidade social e transparência… Aqui, chama-se ao juízo da publicação regular sobre as cláusulas da contração da dívida pública, assumidas pelo governo anterior ou o actual ;porque é perigoso pensarmos em contraímos novas dívidas sem se quer nos preocuparmos saber os destino dados aos antigos empréstimos, principalmente chineses.

Terceiro, é do interesse nacional ter um poder descentralizado regrado em ciclos periódicos de eleição.

A escolha é nossa!

Prof.N’gola Kiluange (Serafim de Oliveira)
Washington D.C
Prof. N’gola Kiluange
————————————————————————————————
English version: free style translation:)

Angola:two years after JLO governance – it is up to us to say how we would like to be governed!
By Prof.N’gola Kiluange

Washington D.C – We often forget that this country has for years been the scene of proxy war between our national liberation movements.

In the midst of the cold war between the western bloc and the communist eastern bloc, Angolans plunge into open and fractious conflicts in a destructive national dimension without any precedent in every history of human existence.

The value judgment became tradable in the light of the law decreed by the holder of political, military and economic power on November 11, 1975, thus compromising and conditioning our social coexistence ever since.

Toda e qualquer razão contrária ao padrão ainda em curso – será simplesmente reprimida e neutralizada, a não ser que o funcionamento normal de todas nossas estruturas estatais se livrem das ordenanças do partido governante.

First, the revision of the constitution must be an immediate fait accompli if we are to make our public institutions credible and rule out the possibility that adventurers might still sow discord and hatred among us.

Second, the management of public affairs must be managed with a high sense of social responsibility and transparency… Here, the judgment of the regular publication on the public debt contraction clauses assumed by the previous or present government is called,because it is dangerous to think about getting new debt without worrying about the fate of old loans, mainly Chinese.

Third, it is in the national interest to have decentralized power governed by periodic election cycles.

The choice is ours!

Prof.N’gola Kiluange (Serafim de Oliveira)
Washington D.C
Prof. N’gola Kiluange

Author: angolatransparency

-Impulsionar os cidadãos angolanos a questionarem como o erário público é gerido e terem a capacidade de responsabilizar os seus maus gestores de acordo com os princípios estabelecidos na Constituição da República --Boost the Angolan citizens to question how the public money is managed and have the ability to blame their bad managers in accordance with the principles laid down in the Constitution of the Republic-------------- Prof. N'gola Kiluange (Serafim de Oliveira)

One thought on “Angola: dois anos após de governação de JLO – cabe-nos a nós dizer como gostaríamos de ser governados!”

Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.